O SUS é um bem valioso. Não podemos colocá-lo em risco com a Reforma Administrativa

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Seria aterrorizante imaginar o que seria do Brasil sem o SUS (Sistema Único de Saúde) neste momento trágico que estamos vivendo diante da pandemia de Covid-19.

O direito à saúde universal aos brasileiros é de responsabilidade do Estado. Esse direito foi determinado na Constituição de 1988, mas o sistema só foi instituído com uma lei promulgada dois anos depois, em 19 de setembro de 1990. 

Em 2020, portanto, a legislação que regulamenta o SUS completou 30 anos, em meio à pandemia da Covid-19 e obstáculos que provavelmente farão parte da realidade do país mesmo depois da crise sanitária do novo coronavírus.

No caso da saúde, mesmo quem tem plano de saúde é usuário do SUS, ainda que não saiba disso. Isso porque as ações do SUS vão muito além do atendimento em postos de saúde e hospitais. 

Ações de vigilância sanitária e epidemiológica, saneamento básico, desenvolvimento científico e tecnológico na área de saúde e até mesmo fiscalização e inspeção de alimentos e de alguns medicamentos são atribuições do SUS. Você já imaginou se o órgão fosse totalmente aparelhado por indicações políticas à mercê dos interesses dos mais poderosos e do mercado financeiro? 

A Reforma Administrativa traz em seu bojo precedentes em que todos os brasileiros e brasileiras, independente da classe social, fiquem desprotegidos.

Para entender melhor, quando compramos comida no mercado, ou quando frequentamos bares e restaurantes, ou mesmo quando utilizamos um medicamento, estamos sendo amparados pelo SUS. E aí? Você ainda concorda com uma Reforma que pode colocar em risco a estrutura do SUS?

A campanha #VaiPiorar se une à sociedade, movimentos sociais e ao funcionalismo de todo país na luta pela preservação do serviço público de qualidade e contra essa nefasta reforma. 

Conclamamos todos e todas para essa luta que é de toda sociedade e só será vencida com muita mobilização, muita força e luta. Para tanto, damos voz a todos e a todas por meio de uma plataforma de envio de e-mails aos parlamentares do Congresso Nacional na intenção de pressioná-los a votarem contra a Reforma Administrativa na Câmara dos Deputados. O sistema pode ser acessado pelo link.

Para continuar a intensa mobilização, baixe aqui os materiais de apoio à campanha. 

Notícias